Projeto Quixote é finalista do prêmio Itaú-UNICEF

Informações sobre o post

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) divulgou as 96 parcerias finalistas da 12ª edição do prêmio Itaú-UNICEF, que reconhece e estimula parcerias entre organizações da sociedade civil e escolas públicas no desenvolvimento de ações socioeducativas que ampliem conteúdos de aprendizagem para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos.

Este ano, o tema do prêmio é “Educação Integral: Parcerias em Construção”. Desde 1995, a iniciativa recebeu mais de 17 mil inscrições, premiando ações em 1.752 cidades. Na fase atual do prêmio, organizações da sociedade civil e escolas públicas parceiras recebem 10 mil reais cada.

O projeto inscrito pelo Projeto Quixote, e premiado, foi o “Interações Quixotescas”, cujo objetivo era prevenir o uso abusivo de drogas entre adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social. Para isso foi realizada uma parceria com uma escola pública próxima, a fim de realizar atividades de formação de professores e atividades socioculturais e de atendimento psicossocial aos alunos.

Foram realizados encontros bimestrais entre educadores do Projeto Quixote e profissionais da escola. Os temas discutidos foram o papel do educador, a rede de atendimento, o uso de drogas e o manejo de grupos. Com os alunos, na escola e na sede do Projeto Quixote, foram propostas atividades socioeducativas, como oficinas de grafiti e atendimento psicossocial, saraus e acompanhamentos das famílias. Ao final, foi realizado um painel de grafiti na escola.

Como resultados do projeto, observou-se um vínculo maior entre a escola parceira e o Projeto Quixote, fortalecendo as trocas e atendimentos conjuntos, um aumento no número de jovens participantes vindos das escolas aos atendimentos psicossociais. Foram capacitados 20 professores e 30 alunos como multiplicadores, contando com a participação espontânea de 100 alunos.

Segundo a Escola, os professores encontram grande dificuldade em entender a realidade de seus alunos fora da escola. Questões relacionadas a drogas, conflitos sociais, familiares, falta de interesse pelo aprendizado são difíceis de ser abordadas e tratadas. Os pais também não sabem muito bem como lidar com essas questões dos nossos jovens.

A atividade final, consistiu em os alunos grafitarem o muro da Escola, fechou o projeto com o sentimento de pertencimento e identidade, marcando a escola como um lugar que pertence aos próprios jovens também.

Acesse a lista das 96 finalistas regionais do Prêmio Itaú-UNICEF: http://bit.ly/2vVPZbL.

Sobre o Prêmio:

O Prêmio Itaú-UNICEF é uma iniciativa da Fundação Itaú Social e do UNICEF, com coordenação técnica do CENPEC. Ao se inscrever, a organização da sociedade civil indica a escola com a qual trabalha e as ações socioeducativas que desenvolvem conjuntamente. As avaliações consideram o mérito das ações desenvolvidas e os aspectos de gestão para a sua sustentabilidade e tanto a organização quanto a escola pública são premiadas.